domingo, 22 de janeiro de 2012

O SOL E A LUA

Eram meninas meigas, bonitas e irmãs
...e eram gêmeas também ...isso estava na cara. 
E como parecidas eram...
mas elas tinham poucas diferenças realmente...
Talvez no sorriso... ou na cor dos olhos... na cor preferida
Ou a flor que aprecia... 
mas em uma coisa elas eram iguais... elas adoravam ajudar as pessoas,
os animais e cuidar com todo zelo da floresta onde moravam.
Todo dia pelos campos elas iam passeando e pelo caminho iam 
ajudando um pouquinho aqui... um pouco ali...e todos agradecidos 
com elas ficavam.
Elas adoravam as borboletas e os pássaros...
Os rios, as montanhas...a paz e alegria que ali existia.
Correr pelos campos floridos...
Beber água cristalina da fonte 
e brincar com os bichos da floresta.
Sol gostava de pintar flores, pássaros e a natureza, 
E usava muitas cores... adorava o Sol 
e suas pinturas encantava a todos...
Lua gostava mesmo era de cantar...
Parecia um lindo rouxinol, com voz suave
E adorava Cantarolar belas canções ao luar...
E até a lua no seu esplendor todo 
Não deixava de admirar...
Aquela Menina Fada a cantar.
Um dia quando estavam a passear
Uma grande tempestade na floresta
Caiu... tudo escuro e com ventos fortes ficou.
E sem pensar duas vezes, lá foram
Sol e Lua ajudar a todos.
O rio logo cheio ficou e muitos 
bichinhos não conseguiram voltar
para casa naquele dia... então...elas levaram
todos eles para casa e lá 
Fizeram uma grande panela de sopa
E a todos aqueceu com calor
E carinho... com música e amizade 
Os pais delas acostumados
estavam,pois sabiam que
elas nunca iriam deixar 
Os amigos afogar... com frio
Ficar e muito menos 
Fome sentir...
No dia Seguinte o sol voltou a brilhar
E todos puderam sair...e para casa retornar.
Mas elas tiveram uma bela surpresa naquela
Noite na floresta...os amigos, 
uma grande festa fizeram
Em homenagem a essas duas 
lindas e queridas
Meninas Fadas por serem
Tão generosas e amigas
E por se preocuparem com o outro irmão
Seja lá quem ele for... elas ajudam 
E sempre estendem a mão.
Ah, e
Esse é o retrato que os bichinhos
Da Floresta Nand teram
De presente para as duas 
Durante a festança...
Um tal Leonardo pintou...
E nem cobrou,pois admirado com a coragem das duas
Ele ficou...
É uma bela pintura ...com o campo colorido
Atrás, onde elas adoram correr e na natureza viver
Sem esquecer é claro,das borboletas,sempre por perto
a ficar...
Afinal ,elas são tão amigas das meninas.
Sol e Lua são duas
Meninas – Fadas de tão bom coração,que
Ganharam além do belo quadro pintado,
Lindas estátuas delas enfeitadas com flores de cristal...
E essas feitas pelos castores, grandes escultores da Floresta, 
E lá perto da fonte Cristalina, as estátuas estão...
Até a natureza agradecida ficou... e semeou dentro
Das flores feitas de cristais...
flores lindas e perfumadas
coloridas e encantadas...
e todos que por lá passam
apreciam a beleza que lá ficou...
e um perfume suave de paz 
...serena sempre quem lá descansa.


(Fada Mell - Cáh Brasileiro)


sábado, 21 de janeiro de 2012

ERA UMA VEZ... SEMPRE OUTRA VEZ... LÁ NO REINO BOREAL

Era uma vez, em um lugar mágico, do outro lado do arco-íris...
onde o vento cheirava lavanda...as flores cantavam ao amanhecer...
e o sol tinha muitas cores,e a grama era verdinha verdinha e era fofa
como algodão...o Reino tinha um nome estranho ou seria diferente...
ele se chamava Reino Boreal...pois tudo lá era muito colorido e brilhante.
Neste lugar tão tranqüilo viviam simpáticos seres que levavam sempre a vida em sintonia. 
Vou apresentar a turminha que vivia pelos campos a correr e brincar...
Bubu, era um ser especial,uma mistura de borboleta com uma menina, bem sapeca, era ruiva e muito alegre também...tinha o sorriso era sua marca registrada, ela voava para baixo e para cima com sua amiga Mob,uma mosca engraçada,que usava óculos enormes, pois míope ela era...e tombava em todos que no seu caminho passasse.

Miguelito era uma formiga muito esperta, inteligente e adorava fazer invenções
malucas e vivia explodindo o seu laboratório segredo... rsrss...
nem tão segredo,afinal...pois todos sabiam onde ele ficava... um grande cientista ele ainda seria.
Loló era a menina que tinha lindos cabelos loiros e só usava meias cor de rosa, 
Ela era amiga de todos e adorava sair com a turminha para com eles aprontar pelo reino...e pelo Reino ela ficava a cantar... tinha mesmo uma bela voz essa menina.
Doug, era um dragão, meio “ovelha negra” da família dragão... pois era bonzinho e
adorova fazer bolinhos doces...ele era um grande mestre cuca...a família de dragões do reino, não o queria por perto, pois ele não sabia se comportar com um dragão de verdade.
Ainda tem a espevitada Fadinha Petit, ela é muito esperta, mas também é distraída e agitada, engraçada e é um charme só...um encanto de Fadinha, ela tem uma enorme trança no cabelo.E uma vez passeando por Boreal, atrás de beija-flores e borboletas, ela acabou ficando perdida, e nunca mais encontrou o caminho de casa, todos tentavam sempre ajudá-la a encontrar o Reino das Fadas...

...mas ela sempre voava em círculos e mais perdida ficava ainda... acabou que foi ficando ...e ficou! Fazer o que né...dizia ela com seus enormes olhos cor de mel piscando...eu fico confusa e perdi a minha bússola encantada....não posso fazer nada!
Depp é um urso polar, e como tudo em Boreal, é meio estranho, ninguém 
Pergunta o que um urso polar faz em um lugar com tanto brilho, sol e
Calor...ele se adaptou bem lá, e nem imagina como lá foi parar. É amigo e prestativo,e com certeza é muito querido por todos.
Ele é muito amigo da Flor, uma Elfa que adora ler e com um livro vive
a correr...ops, a voar. Ela sempre dá uma bronca em todos, pois só querem saber 
de brincar.
Boreal é um pura magia e alegria... todos que lá vivem bem e cada um cumpre com presteza e louvor a missão a qual foi designado
Como se fosse um grande e sério pacto entre todos...uma combinação de amigos...
Uns cuidam dos menores, outros da cozinha, outros da escola
E outros do soninho....
Quando cada um faz sua parte, muitas brincadeiras podem realizar,
E bolinhos doces todos podem se empanturrar....
Todos são felizes e amigos são, apesar das diferenças e
Cada um com seu jeitão...

Todos se respeitam e são como irmãos.
No Reino Boreal, muita paz tem,
Pois cada um sabe valorizar e admirar
O trabalho de cada amigo.
Assim nasceu entre eles uma
Linda amizade,eles se ajudam, se gostam
E ai de quem contra eles, ficar...
Eles se protegem com o coração e sempre dão uma mãozinha
Para quem precisar.
Não existe nada mais bonito que
Essa linda união, de amigos que 
Se amam e que moram em Boreal.
Um dia Boreal vai aparecer, e todo o Universo vai saber...
Que existe um reino onde ninguém é igual
Ao outro, mas todos moram no mesmo coração,
E cantam a mesma canção.




(Fada Mell - Cáh Brasileiro)






O REINO DAS ÁRVORES

Em um Reino distante onde muitas árvores existiam....de todas as cores,perfumes e
flores... O Sol brilhava intensamente...bem na verdade eram os dois sóis...
Levando vida e alegria a todo o Reino... ah, e a noite, cintilantes e enormes estrelas no céu brilhavam... e coroadas por duas luas prateadas o céu ficava... deixando bonito e iluminado o céu nas noites do Reino das Árvores...
Em uma casinha bem bonitinha perto do lago, morava Tataco, um Sapo amigo e engraçado...e sua família,Stella,sua esposa amada,a sua estrela...era assim que ele a chamava...e seus filhos.
Tataco era muito conhecido no Reino... fazia lindas bolhas de sabão transparentes e coloridas.... iguais não tinha em lugar algum...e ele foi um grande também um dia, mas se aposentou... pois com a idade...ele não gostava de falar quantos anos tinha...hehehe... a sua voz foi ficando rouca e agora ele apenas a vida curtia,ah, ele construía belos brinquedos de madeira,além, é claro, dos vidros coloridos com bolhas de sabão para distribuir no Reino.
Todos gostavam dele... mas,ele tinha um amigo em especial, que todos os dias com ele ia se encontrar e muito eles conversavam... Theodoro, o Théo... como gostava de ser chamado, era um pequeno Elfo, filho do Rei e da Rainha dos Elfos... o pequeno príncipe que andava por todo o Reino e dele todos gostavam, era um bom menino- elfo... educado e gentil...inteligente a amigo.
Quando a tardinha chegava, lá ia Théo para o lago navegar e sempre seu amigo Tataco encontrar...hora ele,o Tataco, estava a pescar ou apenas espreguiçando no barco que a deriva ele deixava a ficar... e dentro dos barcos eles ficavam a prosear... aproveitando as lindas tardes que no lago ficava e para ver de pertinho o pôr-do-sol chegando de mansinho... tingindo de tons dourados o céu anil do Reino das Árvores.
Théo adorava ouvir as muitas estórias que Tataco contava na época que era cantor na Orquestra do Sr. Grilo... e das aventuras que teve para ir em outros lugares se apresentar... mas a estória que mais gostava de ouvir...era de quando no céu um baile ia acontecer... e Tataco nem imaginava como ia fazer para lá chegar... acabou pegando carona com os passarinhos... mas no voo pelo céu anil, ele perdeu a sua cartola e apesar de ter ficado chateado... curtiu a viagem... e quando lá chegou, antes do show...
Ele teve que arrumar uma cartola para fazer bonita presença diante da platéia...
E alguém teve uma brilhante ideia... Dona Joaninha que era toda descolada e muito
Chique, o ajudou nesta sua busca ... e acabaram achando que a panela preta da cozinha do Sr. Macaco Chicão iria servir direitinho para uma cartola ser... então lá foi Tataco com a panela na cabeça fazer seu show e encantar a platéia com sua linda voz de soprano...
Théo adorava ouvir as aventuras do amigo Tataco....e foi neste baile que ele acabou conhecendo Stella, uma linda sapinha dançarina que ia se apresentar também,junto com a escola de dança do Reino. Théo até mal passava de tanto rir,sempre que ouvia essa aventura do amigo.
Théo um dia seria o Rei dos Elfos, um bom Rei com certeza... mas ele queria também ser escritor...e sempre estava com lápis e um pequeno caderninho nas mãos.
 Anotando tudo que achava interessante e depois contava para seus amigos Elfos
o que tinha visto nas suas muitas andanças pelo Reino todo.
O Rei dos Elfos sabia que seu filho vivia pelo Reino a ouvir e a conhecer a todos, mas sabia também que Théo era muito querido por todos os seres que ali viviam. O Rei Fel, que nada tinha deste nome... era um bom Rei e tinha na Rainha sua maior inspiração para ser feliz ...a Rainha Mell era uma bonita Humana ...com longos cabelos negros e olhos de cor de Mel...por isso seus pais a batizaram.. Mell... e sua doçura e delicadeza faziam dela uma bela e querida Rainha por todos. Théo tinha bons exemplos de bondade, alegria,amor e respeito...por isso ele era assim. E um dia um Bom Rei ele seria.
Tataco e Théo eram bons amigos e tinham respeito e amizade um pelo outro e faziam disto uma grande alegria e compartilhavam bons momentos juntos de amizade e risos. No Reino das Árvores a vida prosseguia com paz e harmonia e cada um a sua vida vivia. E mesmo com problemas no dia-a-dia, a felicidade ali existia.


(Fada Mell – Cáh Brasileiro)




DOCE MUNDO COLORIDO

 Antonella admirava as cores.
                             Ela vivia em um mundo de sonhos. Todos eles coloridos.
                            Quando à noite se entregava prazerosamente relaxada sob os lençóis macios e perfumados e sentia sobre seu corpo o calorzinho aconchegante logo sorria e se entregava a um sono profundo.
                             Dizia quem a visse assim que estava morta. Nem mesmo a respiração se ouvia. Parecia que estava fora de si mesma. E ela sabia que estava. Ali somente seu corpo ficava. Seu espírito a abandonava e ela viajava longe, no mundo das cores.           
                             Penetrava na imensidão do céu, na escuridão, e nesta viagem vertiginosa encontrava o brilho prateado das estrelas longínquas, se aproximava do rei sol incandescente, do amarelo, vermelho e laranja das chamas e depois se extasiava com o branco da lua, com o azul da terra vista do espaço, com o amanhecer e o pôr do sol colorindo o céu numa mescla de cores sem fim que se cambiavam a cada instante. O espetáculo do verde da terra viva, do mar azul, das terras vermelha, negra, marrom e roxa recém-arada, do deserto tostado, do multicolorido das flores nos jardins, do cinza nebuloso das nuvens enfezadas, dos arranha-céus de concreto que compunham as grandes cidades.
                            Tudo isso visto do espaço em que flutuava, livre das amarras que a prendiam ao mundo. E nesse passeio noturno Antonella depois de mergulhar em tudo e extasiar-se com tudo despertava com um sobressalto. Parecia que de repente voltava por um acidente de viagem em choque com a matéria, seu corpo ali na cama como um empecilho, uma pedra no caminho da liberdade.
                           Acordava angustiada, chateada, olhava a sua volta o quarto, as quatro paredes pintadas de rosa sem graça, de seus móveis de cores inexpressivas, achava tudo tão pequeno, tão ínfimo, tão insignificante e durante todo dia ficava pensativa e amuada.                  
                           Os seus sabiam, ela não era normal, ninguém podia ser normal agindo assim, durante o dia em casa ou na escola que freqüentava em uma classe especial, só fazia pegar os seus lápis de cor e suas tintas e pintar com eles enchendo as folhas de cores e sorrindo a cada pincelada ou rabisco seu. Ela às vezes tentava dormir em sua carteira, mas a professora a acordava quando estava tentado desligar-se e partir no mundo de seu sonho colorido.
                            Seus pais não sabiam o que acontecia com ela, quase não falava ou se abria a boca era para falar sobre o mundo colorido, mostrando a cor de um vestido azul, e dizendo e repetindo azul, ou explorando o verde da grama do jardim e o acarinhando com as mãos, ou observando o céu azul, as nuvens brancas, mas sempre indiferente a realidade do mundo, ao que se passava.
                           Aquele olhar perdido que parecia estar sempre olhando e vendo não sei o quê, a fazia louca aos olhos de todos.
                           No seu mundo irreal Antonella um dia se perdeu.
                           Naquela manhã seus olhos não se abriram. Foi-se embora para sempre no mundo colorido do universo.
                           Seu espírito se recusou a voltar. Quando viajava no mundo de seus sonhos fugiu cada vez mais para longe de seu planeta azul, procurou um raio de sol e nele se sentou, olhando resoluta a terra não quis viajar nele até lá e ali ela ficou até se esmaecer nele.
                           Em casa todos choravam, ela tinha partido para sempre e a conduziram a sua última morada.
                           Nesta tarde chovia, um raio de sol atravessava as gotas d´água e o reflexo das cores do arco-íris no céu enfeitava e fazia sorrir a tarde.

Criado por Lavínia Ruby em 23/07/10.





O REINO ARCO–ÍRIS E A PRINCESA JASMIM

Acreditar no possível é fácil... mas e no impossível... quem sabe....também...é!



Num reino de nuvens feitas de algodão, onde o arco – íris sempre aparecia e fazia bonito no céu ... e as criaturas viviam em perfeita harmonia e alegria... onde até tinha uma chuva diferente... de tempos em tempos chovia cerejas pequenas e maduras e folhas perfumadas sempre caíam pelo chão...
Um lugar onde existia carinho e respeito por todas as vidas do Reino...

Em um castelo bonito e majestoso... lá no alto da torre mais alta, sempre a apreciar
os belos campos ao longe,e os jardins cheios de flores coloridas rodeando um lago bem tranqüilo e bem azul...ficava a princesa a se encantar.
Neste lago tão azul um belo cisne branco suavemente deslizava pelas suas águas com a Fada Prateada e azul sentada nas suas costas...
Ela é muito gentil e bonita e adora cantarolar lindas canções de ninar...
E por todo o Reino é ouvido suas canções suaves e serenas...a todos a acalentar.
Uma linda donzela no alto da torre sempre está... seu nome é como uma flor e delicada ela é...a princesa Jasmim...uma princesinha bondosa e meiga...e calro, amiga de todos.
Ela é muito querida pelos amigos 
e entre eles; ela tem um amigo mais que especial...
Um ser que ninguém sabe o certo o que é...
Tem asas de borboleta, cauda de dragão...
Olhos lindos e doces como mel...
Orelhas de elfo e mãos delicadas que
Carregam um pequeno espelho que veio do fundo do lago...
Um espelho mágico ele é...
Jasmim quase não sai do castelo... e Puig, o
Seu amigo sempre lá no castelo está para com ela conversar...
E mil e risos trocar.
Pelo espelho Puig mostra para Jasmim
toda a beleza que há no Reino
E um dia ela poderá sair... assim que ela fizer 15 anos, 
o feitiço irá acabar e de novo Jasmim voltará
a ser a princesa tanto com o sol quente ...quanto com a noite de lua..
Pois à noite, Jasmim vira uma linda libélula
De cores lindas e transparentes...ela ficou assim, por causa 
De um feitiço que a Dona Bruxa colocou nela para que ela não 
Pudesse nunca se tornar Rainha.
Mas a madrinha de Jasmim , a Fada Prateada e Azul 
e o fiel escudeiro o Cisne Lux, a salvaram deste triste fim...
e fizeram uma magia... quando Jasmim 15 anos fizer...e a chuva de 
cerejas ao Reino voltar...pois essa chuva acontece de anos em anos...
Ela nunca mais irá se tornar libélula
E assim ela poderá sair do castelo e correr pelos campos floridos, 
Navegar no Lago Azul... passear com os seus muitos amigos,
e ser livre para ir aonde quiser e não se preocupar
Com a noite...muito menos com as noites de luar.
E esse dia está chegando...
O dia amanheceu lindo, cheio de folhas perfumadas caindo e enfeitando todo o chão,
e também, pequenas e vermelhas cerejas pelo Reino está caindo... e Puig feliz está pois é o dia do Aniversário de Jasmim,ela faz de 15 anos...e correndo ...ou melhor voando ele vai para a torre com ela festejar ...
Jasmim com um belo sorriso no rosto de menina acordou...
E logo se arrumou... não via a hora da sua festa começar,
para assim comemorar a vida mais ainda... pois a partir de agora
Seria diferente... ela poderia passear pelos campos....
Brincar na areia branquinha feito cristal do lago com seus amigos...
Viajar...voltar a estudar na escola e ver os amigos todos os dias..

Logo colocou seu lindo vestido dourado e enfeitou os cabelos com 
pequenas folhas de heras perfumadas como gostava de fazer...
Puig estava contente com a alegria da sua amiga...e lá no Lago a
Madrinha Fada Prateada e Azul para ela acenou... e um linda canção em sua homenagem cantou...
O Reino todo acordou feliz pois a sua princezinha ia voltar naquele dia
A ser apenas menina ...e um dia uma bonita,bondosa e justa Rainha ela seria.
O Reino do Arco – íris fez uma grande e bela festança 
e os 15 anos da Princesa Jasmim celebrado foram por todos 
os seus habitantes... o Rei e a Rainha felizes estavam com o fim do feitiço
e a vida aos poucos foi voltando ao normal pelo Reino,
e a alegria que sempre ali existiu agora voltou a ser maior ainda.
Ah, e a Dona Bruxa, ninguém sabe ... ninguém viu... pois parece que pegou 
sua vassoura e um outro rumo tomou....

(Fada Mell - Cáh Brasileiro)


SONHOS...

Juntei as cores, uma a uma, roubadas de sonhos infantis.


Pra que os outros não teimassem em roubá-las de seu destinatário, escondi sobre uma densa camada de açúcar. Chamei de jujubas.


Pra que elas ficassem bem acomodadas, tirei um vício do bolso e pintei com cheiro de bom dia. Sentaram umas sobre as outras em uma aquarela doce.


Prometi dar um teto estrelado, pras cores não ficarem deprimidas no claustro provisório. Peguei um par de asas novinhas e fui catar estrelas. Queimei as pontas dos dedos, mas nada que um ou dois sopros sorridentes não curem.


O toque final seria uma película transparente de intenções e uma fita bonita.


Estava pronto o presente.


Estava treinando uma nova mágica: fazer rodas gigantes não parecerem tão assustadoras, e devolver sonhos à alguém, pra que lembrasse como voar.


(Régis Falcão)


FLORESTA LILÁS

Era uma vez....
Na Floresta Liláse, um lugar mágico e serenamente tranquilo... viviam encantadoras Fadas ... 
Gnomos... elfos... elementais... árvores com flores perfumadas e belas...
As Fadinhas deste mundo encantado são especiais... são pequeninas, meigas, alegres e exalam cheiro de flores... um suave perfume cada uma tem...mas uma em especial vive no meio delas, Solara.
Uma fadinha sorriso e charmosa,seu nome era Solara, que além de ser uma fadinha tão amiga e querida, ainda conversava com os passarinhos, com as borboletas e esse dom não é só delas.. todas as Fadinhas da Floresta Liláse tem esse dom tão bonito e especial.
Mas Solara conversa também com as flores...apenas ela tem esse dom...
As Fadinhas deste mundo encantado são especiais... são pequeninas, meigas, alegres e exalam cheiro de flores... um suave perfume cada uma tem...mas uma em especial vive no meio delas, Solara.
Uma fadinha sorriso e charmosa,seu nome era Solara, que além de ser uma fadinha tão amiga e querida, ainda conversava com os passarinhos, com as borboletas e esse dom não é só delas.. todas as Fadinhas da Floresta Liláse tem esse dom tão bonito e especial.
Mas Solara conversa também com as flores...apenas ela tem esse dom...


um dom que possui deste que era uma fadinha pequenininha... um dia, ela caiu no jardim... e até todos achá-la, Solara não teve medo de ficar sozinha... as flores logo a pegaram e a puseram em suas pétalas e cuidaram dela..até que seu amigo,Zuik, o beija-flor a achou...
Foi quando ela descobriu que entendia o que elas, as Flores falaram.
Passear pelos jardins era o passeio preferido de Solara...conversar com os pasarinhos, as borboletas e as flores também...
E ela fazia isso todos os dias.
Naquela manhã tão bonita, de céu em tons lilás... azuis... o céu de lá sempre possuía esse tom...mesmo a noite...um imenso e lindo arco-íris nele sempre tinha...



Solara conversava com as rosas lilás, suas amigas preferidas, mas era segredo...hehhee...mas as outras flores não podiam saber ...gostava de todas, claro.. mas as rosas lilás...eram especiais...pois eram próprias do seu Reino.
O seu amigo Zuik chegou apressado... Solar o achava uma graça
Sempre voava apressado e de lado... era um beija-flor engraçado e espirituoso,ele era “o cara”... ou melhor...era o “passarinho” como diziam as flores...
Descolado, inteligente e esperto. E era muito seu amigo.... adorava prosear com ele.

Ele contava todas as novidades da Floresta, e de outras também, afinal, Zuik voava para todos os cantos do Reino.
Era o mensageiro oficial do Reino.
Eles falavam animadamente, quando Nut e Anon chegam voando suavemente e
Delicadamente, quase ninguém percebia quando elas chegavam...de tão discretas que eram...
Solara falou:
Olha quem chegou Zuik.... nossas amigas do Reino das Borboletas do Solar.
Era um Reino próximo à Floresta Liláse.... e elas sempre passeavam pelo Reino Liláse,pois tinha lindas e perfumadas flores... de várias espécies e cores! 
Elas apreciarem sentir o cheiro perfumado que só lá na Floresta Liláse, as flores tinham.
Elas contaram para Solara e Zuik que uma festa ia acontecer no Reino Luz.
E com certeza Bubu e sua amiga inseparável, a Abelhinha Pegy iam aparecer para
todos convidar.
- Puxa... como gostam de mim hein Nut... hehehe.... 
todos se viraram assustados...era Bubu e Pegy que acabavam de chegar.
Tenho um convite para fazer para vocês amigos...
e espero contar com todos vocês na minha festa de aniversário,diz Bubu...
diz Bubu sorrindo.
Bubu era uma graça de menina-borboleta, filha da Rainha Raziel, do Reino das Borboletas. Carinhosa e prestativa, todos com ela podiam contar, sempre pronta a ajudar...


O dia estava lindo e todos se alegravam com isso, e mais ainda ...
Porque encontrar com os amigos trazia realmente alegria para cada um deles.
Solara mostrou a todos o lindo vestido que tinha ganhado...um presente da madrinha ... e gostou tanto tanto que com ele foi passear no jardim...
E mostrar feliz para as flores o vestido enfeitado.
- Ah... Bubu, 
mas tenho um outro vestido lindo que ganhei da madrinha que irei no seu aniversário... ela trouxe dois para mim... como eu gosto...
em forma de flor!conta Solara feliz com os presentes.
- Realmente amiga Solara, disse Bubu, seu vestido é muito bonito...
- Puxa, a conversa está muito boa amigos, mas tenho que ir, alguns convites ainda
Para entregar... senão tarde fica... e Pegy não gosta de voar muito no escuro...
Ela fica zonza.... diz Bubu, olhando e sorrindo para Pegy, sua amiga
Abelhinha inseparável.
Pegy faz uma cara engraçada ...e solta uma deliciosa gargalhada no ar... e ela cheirava mel doce...
Como é que gostoso esse aroma no ar... !
Bubu, despediu-se animada e contando com todos para sua festa...
Mas antes de ir, contou as novidades do aniversário...
Disse que vai ter música da Banda do Senhor Grilo ,muitas bolhas coloridas e 
muitos bolinhos e docinhos que as Abelhinhas iam fazer...mas não são só de doces de Mel, 
Disse Bubu, olhando para Zuik.... 
- vai ter docinhos de todos
Os sabores e cores... hum deixe-me pensar.. ah, terá...
pirulitos adocicados e coloridos de arco-íris, bolinhos confeitados de maça, uva e morango e limão... com calda cremosa e quente de
Chocolito branco, além de um enorme bolo de nozes e chatilly...suco de sol e lua,
Suco de luz.. os docinhos coloridos verdes,azuis, vermelhos e brancos com confeitos coloridos por cima....os salgadinhos deliciosos da Dona
Esquila...ah,e muitas coisas a mais amigos,
Eu quero que vocês
Se divirtam muito e fiquem bem animados...!
Ah, esqueci Zuik, terá também as balinhas de nuvem....aquelas que você adora não é.... hehhee
Zuik adorou a notícia, ele adorava as balinhas de nuvem
Eram mesmo divinas, pensou ele...eram recheadas de chocolito preto que as abelhinhas faziam.. era muitooo gostoso mesmo.. pensou Zuik.... com água na boca.. ou no bico.... hehhee..
- Puxa, quanta coisa gostosa amiga Bubu, disse Solara...
Ah, tem uma outra coisa amigos, no dia seguinte...
Vamos levar docinhos, bolos e sucos para
aquele orfanato de crianças -elfos
Lá no Reino da Luz...
E conto com todos vocês...
Clar , responderam todos juntos, sempre adoramos ajudar
Aquelas crianças...elas realmente ficam felizes sempre que vamos 
Lá, disse Solara.
- Bem, amigos, está na minha hora... vejo vocês na minha festa...que
é nossa afinal, reunir os amigos sempre é uma imensa Alegria, diz Bubu, mandando beijinhos estalados para todos...e subindo nas costas de Pegy...que 
Zumzunindo... sumiu no céu colorido.
Nut e Anon, se despedem também...vão voar pelo do rio um pouco...
Para o sol poderem sentir nas asas 
coloridas...
Solara ficou um pouco mais com os amigos, e se despediu também


Acariciou cada rosa do jardim com carinho e deu um beijo no pico de
Zuik, que logo depois se foi também. Até mais tarde amigos, disse
Solara batendo as asinhas e voando...
- Ah, disse rapidinho... Sempre bom ver vocês amigos
Queridos... inté mais tarde! Dando um tchauzinho sorrindo..... 
As flores sorriram de volta e perfumaram o ar com um delicado
e suave Perfume....
O perfume da
“AMIZADE.”
(Cáh Brasileiro)


HISTÓRIA DAS PALAVRAS

As mulheres e os homens estavam espalhados pela Terra. Uns estavam maravilhados, outros tinham-se cansado. Os que estavam maravilhados abriam a boca, os que se tinham cansado também abriam a boca. Ambos abriam a boca.
Houve um homem sozinho que se pôs a espreitar esta diferença - havia pessoas maravilhadas e outras que estavam cansadas.
Depois ainda espreitou melhor: Todas as pessoas estavam maravilhadas, depois não sabiam aguentar-se maravilhadas e ficavam cansadas.
As pessoas estavam tristes ou alegres conforme a luz para cada um - mais luz, alegres - menos luz, tristes.
O homem sozinho ficou a pensar nesta diferença. Para não esquecer, fez uns sinais numa pedra.
Este homem sozinho era da minha raça - era um Egípcio!
Os sinais que ele gravou na pedra para medir a luz por dentro das pessoas, chamaram-se hieróglifos.
Mais tarde veio outro homem sozinho que tornou estes sinais ainda mais fáceis. Fez vinte e dois sinais que bastavam para todas as combinações que há ao Sol.
Este homem sozinho era da minha raça - era um Fenício.
Cada um dos vinte e dois sinais era uma letra. Cada combinação de letras uma palavra.
Todos dias faz anos que foram inventadas as palavras.
É preciso festejar todos os dias o centenário das palavras.
(José de Almada Negreiros)


quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

AZUL TURQUESA

Há muitos milhares de mundos atrás os Feiticeiros Cinzento-Escuro invadiram a Terra das Fadas, mas fizeram-no de uma forma tão subtil, tão sagaz que ninguém reparou. A pouco e pouco surgiram alguns sinais de que nem tudo estaria bem com as Fadas. A Fada das Boas-Vindas, até aí simpática e acolhedora, quando se tratava de saudar alguém dizia:"Espero que a vossa estadia seja a mais breve possível!" A Fada Perfumada passou a exalar um cheiro terrível que afastava o mais entupido e constipado nariz. A Fada das Boas-Mensagens, entregava a todos telegramas assustadores. A Fada das Brisas levantava todas as noites um enorme temporal e até a Fada das Crianças teve a ousadia de lhes dar uns tabefes quando se portaram mal! Mas apenas quando a Fada da Alegria passou a sentir-se todos os dias triste, a Fada das Fadas exclamou: "Esta situação não se pode manter. Às tantas ficamos sem saber para que é que existem as Fadas!" E decidida, convocou o Conselho das Fadas com o aviso expresso de comparência obrigatória. Nomeou também a Fada dos Lápis sua secretária e encarregou-a de escrever a acta. (Faz-se aqui um parênteses para explicar que a maioria das fadas não tem grande jeito para actas, preferindo histórias com outros enredos e actores). E as Fadas reunidas em Conselho falaram dos sentimentos estranhos que sentiam, das contradições da sua vida até aí tão doce e brilhante e do Cinzento que parecia invadir todas as coisas. Levaram muito tempo nisto, tanto, que a Fada dos Lápis gastou 15 folhas de papel manteiga e 3 lápis verdes! Até que uma tímida e doce voz se ouviu bem lá dos fundos e um pequeno Pirilampo agitando as suas asas disse:"Eu sei quem baralhou o vosso mundo e o tornou estranho e enviesado!" As Fadas viraram-se todas ao mesmo tempo e tão ruidosamente que o Pirilampo ficou sem luz durante uns segundos. Então a Fada das Fadas deu-lhe a palavra e o Pirilampo contou como os Feiticeiros Cinzento-Escuro tinham penetrado na Terra das Fadas e se tinham aproveitado dos seus despreocupados e felizes corações. Como a noite já ia longa e não havia mais papel manteiga para a acta, a Fada das Fadas propôs que regressassem todas às suas casas e voltassem apenas quando uma delas tivesse descoberto a maneira mais bela e perfeita de resolver a questão, ou seja, tornar os Feiticeiros Cinzento-Escuro em Feiticeiros Azul Turquesa.



A ROSA ENCANTADA

Lá muito para dentro do mundo da fantasia, num lugar praticamente inacessível, existe um castelo de gelo onde tudo está adormecido sob um denso manto branco. Aí é sempre Inverno, nunca brilhou a luz morna de um sol de Primavera, não caem as folhas das árvores no Outono, nem há amoras maduras no pico do Verão. No pátio central do castelo existe uma rosa adormecida e gelada. Há séculos que espera que um casal que se ame de verdade e que venha do mundo do lado de lá do mundo da fantasia, entre neste lugar e que com o fogo de um beijo, faça derreter a neve e que a rosa abra por fim as suas pétalas vermelhas.


Fonte: http://um-mundo-de-fantasia.blogspot.com

A FADA DA PRIMAVERA

Voa pelo mundo da fantasia espalhando um perfume novo e fresco. Veste-se de flores e heras tenras. Toma conta dos passarinhos acabados de nascer, dos rebentos das novas flores, das crianças que repousam nos berços e erguem para o céu azul as mãozinhas rechonchudas. Esta fada tem uma voz linda e suave e entoa doces e alegres melodias que se ouvem por todo este mundo de encantar.




Fonte: http://um-mundo-de-fantasia.blogspot.com

O MUNDO DA FANTASIA

O mundo da fantasia é o mundo onde muitas vezes me refugio, onde me escondo, onde me guardo.
É o mundo onde me esqueço do outro mundo.
Quando era mais nova, uma professora de Geografia costumava chamar-me "Princesa da China". Pensava ela que me arreliava quando nas aulas proclamava"Princesinha da China, desça lá do seu castelo e junte-se a nós, os outros, os que vivem com pés no chão".
Eu descia, mas subia rapidamente ao meu castelo de nuvens e sonho, povoado por seres lindos e indescritíveis... e onde me sentia verdadeiramente feliz.
Continuo a viver nesse mundo.
Sempre que quero.
Aqui, é um mundo de imagens que vou encontrando.
Quem quiser, pode vir comigo e gozar da paz e da beleza que todos os mundos de fantasia possuem.


Sejam bem-vindos.




Filomena




FADAS DOS MORANGOS

São duas fadas que vivem nos extensos morangais que há no mundo da fantasia. Uma, é um bocadinho antipática, não gosta de morangos, apenas se senta neles. Recusa-se a provar os doces morangos selvagens. Prefere que eles sejam comidos pelos bichos-de-conta, aqueles bichinhos pretinhos que se enrolam como pérolas de colar. A outra é uma das fadas mais felizes deste mundo. Adora morangos! Voa por entre os frutinhos vermelhos e apetitosos, rega as flores e vai comendo um e outro, apreciando o seu sabor doce e quente. É uma fada um bocadinho rechonchuda( não pára de comer os frutos deliciosos) e linda. Entre as fadas ser-se assim um bocadinho redondinha é uma espécie de honra, é uma diferença única. Esta fada sente-se muito bem por ser diferente, única e, por isso mesmo, todo o dia canta.
[blog4-2.jpg]