terça-feira, 7 de agosto de 2012

FOLCLORE - LENDA DO NEGRINHO DO PASTOREIO

Nos tempos da escravidão, havia um fazendeiro que só tinha olhos para seus cavalos e para seu único filho. Com os negros e os peões da sua fazenda ele era muito malvado.
Lá trabalhava como escravo um menino negro de quatorze anos, que era sempre castigado pelas peraltices do filho do fazendeiro.
Ele pegou o chicote e surrou o negrinho, até sair sangue, gritando:
- Você terá que dar conta deste cavalo, ou verá o que lhe acontece!
Com muito medo, o negrinho saiu correndo à procura do animal. Encontrou-o pastando ali perto, mas quando foi laçá-lo, mais uma vez o seu patrãozinho assustou o cavalo e ele fugiu.
Quando volt u à fazenda, o patrão ficou ainda mais nervoso, e depois de espancar o negrinho, amarrou-o sem roupa em cima de um formigueiro. Ele havia deixado o menino ali para ser devorado pelas formigas. Passados três dias, o fazendeiros resolveu ir verificar o estado de sua vítima. Chegando ao formigueiro teve uma surpresa!
O menino estava perfeitamente são, sem nenhuma marca das chicotadas e nem mordidas de formigas. Ao lado dele estava Nossa Senhora e mais adiante todos os cavalos da fazenda, inclusive o desaparecido. O fazendeiro se ajoelhou e pediu perdão, mas o negrinho o ignorou, beijando a mão da Santa, e montando em um cavalo. Ele foi embora, levando toda a tropilha consigo.
O Negrinho do Pastoreio tornou-se protetor dos animais e das pessoas perdidas no campo.

Fonte: Texto de Patricia Amorim. EditoraVale das Letras.