sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

TINKER BELL

          Numa noite de inverno, na cidade grande, o riso de um bebê saiu pela janela e foi em direção à Segunda Estrela à Direita. Ele continuou viajando a noite toda, alcançando a Terra do Nunca parando no Refúgio das Fadas, o lar mágico das fadas.
          Terence, um dos guardiões do pozinho mágico, jogou um pouco de pozinho mágico, sobre ele, surgindo uma pequenina fada. As outras fadas não conseguiram conter a alegria.
          A Rainha Clarion desejou boas-vindas à recém-chegada e explicou que a pequena fada deveria descobrir seu talento, sua habilidade especial.
          - Para descobrir seu talento, - disse a rainha. - apenas   escute seu coração.
          De repente, um martelo brilhou e se levantou no ar. Ele voou em direção à pequena fada! Imediatamente, ela o agarrou. A rainha riu e chamou a pequena fada de Tinker Bell, uma fada artesã.
          Tinker Bell chegou numa hora muita agitada ao Refúgio das Fadas.
          As fadas estavam se preparando para levar a primavera ao continente.
          Duas fadas artesãs, Clank e Bobble, levaram Tink para conhecer o lugar numa carroça puxada por um rato. Tink viu Vidia, uma fada veloz, trabalhando sobre as flores. Vidia girava e criava redemoinhos para colher pólen, que seria espalhado no continente.
          Vidia deixou bem claro que fadas artesãs não eram importantes. -r Eu faço forças da natureza - disse ela. - Você faz potes e panelas. A primavera não depende de você.
          - Quando eu for ao continente, vou provar como somos importantes! - respondeu Tink.
          Naquela noite, as fadas foram rever os planos para a primavera.
          Tinker Bell estava cheia de ideias, mas teve um grande desapontamento.
          A rainha explicou que as fadas artesãs não iam ao continente. Tink ficou muito desapontada e decidiu que não seria mais uma fada artesã. Ela pediu para as outras fadas lhe ensinarem um novo talento, um que ela pudesse utilizar para levar a primavera ao continente. As novas amigas de Tink concordaram em ajudá-la. Silvermist, uma fada da água, mostrou a Tink como pegar uma gota e colocá-la numa teia de aranha. Tink se ajoelhou às margens do Lago do Lírio e pegou uma gota. A gota explodiu. Ela tentou de novo. A outra gota também explodiu. Tink continuou tentando até que Silvermist a levou até Iridessa, uma fada da luz. Iridessa tentou mostrar a Tink como capturar a luz do sol, mas também não teve sorte.Em seguida, Fawn, uma fada dos animais, tentou mostrar para Tink como ensinar os pássaros a voar. Tink sorriu para o filhotinho, que estava com medo e apreensivo. Tink não estava com sorte, então ela decidiu ir atrás de um grande pássaro para pedir ajuda. O pássaro era um falcão! Fadas por toda a  floresta começaram a se esconder. Vidia e Tink pularam para dentro de um buraco de uma árvore. Sem querer, Tink empurrou Vidia. Vidia escorregou da árvore, parando bem na frente do falcão. Vidia desesperadamente voou pela floresta com o falcão atrás dela. As outras fadas apareceram e atiraram frutinhas, pedras e galhos no falcão. Finalmente, o falcão fugiu voando.
          Tink foi até Vidia.
        - Eu ajudo você. Disse ela.
        - Não  me toque! - Retrucou Vidia. - Eu estou bem!
        - Mas eu só tentei ajudar... - Explicou Tink.
        - Então , PARE de tentar! - Gritou Vidia.
        Com as palavras de Vidia ainda soando em seus ouvidos, Tinker Bell foi sozinha até a praia. Ela viu algo brilhante na areia.
        Tink encontrou uma pequena engrenagem, peças quebradas e uma pequena bailarina - partes de uma caixinha de música que havia sido trazida pela correnteza do continente. Ela sorriu e começou a trabalhar imediatamente. Suas amigas voavam por ali e escondidas observavam Tink colocar a caixinha de música em ordem.
          - Puxa! - Disseram elas, aplaudindo.
          Rosetta , uma fada jardineira destacou que Tink estava consertando coisas e que aquele era seu verdadeiro talento.
          - Não é disso que você gosta de verdade? - Acrescentou Iridessa.
          Tink achou que as amigas estivessem desistindo de ajudá-la.
          - Se querem me ver feliz, - disse ela. - Ajudem-me a aprender um talento da natureza como prometeram!
          As fadas suspiraram enquanto Tinker Bell saía dali voando.
          Tink decidiu pedir a   Vidia ajudá-la. Vidia fingiu ser boazinha e apresentou um plano para que Tink impressionasse a rainha: prender os Cardos Corredores. Os Cardos eram ervas daninhas perigosas que poderiam se juntar e sair em disparada. Tink montou num rato e partiu para a campina. Ela conseguiu prender alguns Cardos, mas centenas deles começaram a invadir o Refúgio das Fadas.
           Na praça principal, as fadas colhiam sementes e outros suprimentos para a primavera. Os Cardos espalharam as pilhas de cestas, derrubaram baldes de tintas esparramaram os sacos de pozinho mágico.
Finalmente, os Cardos foram embora, deixando os preparativos da primavera em destroços. Tink se aproximou da rainha.
          - É tudo culpa minha - disse ela. Sinto muito.
          Tink explicou que só estava tentando ajudar. As outras fadas a olhavam espantadas. Cheia de culpa e vergonha. Tink voou para bem longe dali.
          Tink enxugou  as lágrimas de seu rosto e decidiu que iria embora do Refúgio das Fadas para sempre. Tink voou para o Poço do Pozinho Mágico para uma recarga rápida. Ela conversou com Terence, que ficou surpreso em descobrir que Tink sabia seu nome.
          - Eu sou apenas o guardião do pozinho mágico. - Disse ele.
- O que? Seu talento faz você ser quem você é. - Insistiu Tink. - Devia se orgulhar dele!
- Eu me orgulho. E você? - perguntou Terence.
          Tink voou de volta para a oficina das artesãs e pensou na conversa que teve com Terence. Ela teve uma ideia e começou a trabalhar. Naquela noite, as fadas se encontraram na praça principal. Infelizmente, a Rainha Clarion anunciou para todos que a primavera não chegaria naquele ano.
           De repente, Tink apareceu no local da reunião.
           - Sim, vai chegar sim! - Gritou ela. Tink mostrou para todo mundo as suas novas invenções - objetos que ajudariam as fadas a levar a primavera ao continente.
          - Sou uma artesã - Disse Tink. - e artesãs consertaram as coisas. Mas não consigo sozinha!
Ela fez com que as fadas fossem buscar gravetos, seiva de árvore e objetos perdidos. Depois todos trabalharam juntos para criar mais inventos para ajudar a levar a primavera ao contente. Entre suas invenções, havia um espremedor de frutinhas que produzia tinta rapidamente e um aparelho de pintura que coloria as joaninhas de vermelho e preto.
          As outras fadas trabalhavam felizes enquanto Vidia estava furiosa. Ela estava brava pelo sucesso de Tink. Mas a Rainhas Clarion deu uma bela olhada em Vidia. Ela sabia como Vidia havia encorajado Tink a prender os Cardos.
          - Parece que você tem um excelente talento para caçar todos aqueles Cardos: a velocidade. - Disse a rainha. Vidia saiu para cumprir seu castigo.
       Na praça principal, o Ministro da Primavera anunciou que as fadas haviam conseguido salvar a primavera. Fada Mary, a líder das fadas artesãs, também tinha um anúncio a fazer. Tink iria ao continente para devolver a caixinha de música que havia consertado para  a verdadeira dona!
          No continente, Tink espalhou um pouco de pozinho mágico na caixinha de música. Tink voou de casa em casa. De repente, a caixinha de música começou a brilhar. - É aqui! - disse Tink, parando na frente de uma casa.
         Ela deixou a caixinha de música na janela, bateu no vidro e se escondeu. Uma menina chamada Wendy abriu a janela e viu a caixinha. Ela sorriu, pegou a caixinha e colocou na fechadura uma pequenina chave que estava num colar em seu pescoço. A caixinha de música começou a tocar. Seu tesouro perdido há muito tempo havia retornado !
           Com seu dever cumprido, Tink e suas amigas voltaram ao Refúgio das Fadas, prontas para uma nova          aventura!
(Itd Publicação Internacional, Adaptação: Renee Tawa, Ilustração: Disney Story Artists, Tradução: Joel Donadoni., Interactive Play-a-Sound.)  
    
       

Um comentário: