quinta-feira, 7 de junho de 2012

O MÁGICO DE OZ

Dorothy morava com o seu tio Henrique e a sua tia  Ema em Kansas.
Ela gostava  de brincar com seu cachorrinho Totó.
Um dia, veio um ciclone e Doroty o e  Totó não conseguiram se proteger.
A casa subiu tão alto que foi cair numa festa estranhas.
Quando Dorothy se viu  sozinha, quis voltar para sua terra.
Então, veio uma Bruxinha boa e disse que somente o Mágico de Oz poderia ajudá-la. Deu-lhe um par de sapatinhos dourados para ajudar na   caminhada.
Dorothy seguiu um caminho de pedras amarelas e viu um Espantalho num milharal e o libertou.
- Não sei como agradecer.  Disse o Espantalho.
- Queria ter um cérebro para saber agradecer.
- Venha comigo! O Mágico de Oz poderá dar um cérebro a você. Falou a menina.
Mais adiante, encontrou um homem de lata enferrujado. Depois que Dorothy passou óleo. O Homem de Lata agradeceu e disse que queria um coração para ser generoso.
- Venha conosco. O Mágico de Oz vai conseguir um para você. Disse Dorothy.
No caminho, um Leão atacou Totó.
- Você é um Leão covarde!
Gritou Dorothy, brava. O Leão recuou e disse que era mesmo covarde.
- Então, venha conosco. O Mágico de Oz vai lhe dar coragem.
Disse Dorothy com pena do Leão.
Ao chegarem à cidade  de Esmeralda, foram até o misterioso Mágico de Oz, que disse:
- Darei cérebro ao espantalho, coração ao Homem de Lata e coragem ao Leão; mas
somente a Bruxa Boa do Sul poderá ajudar Dorothy a ir para o Kansas.
No palácio perto   do deserto, a Bruxa Boa do Sul, disse a Dorothy:
- Ora, é só bater  três vezes com estes sapatos encantados e fazer o pedido.
Dorothy despediu-se dos amigos, e  fez o que a Bruxa mandou e zum... Voltou a ser feliz com o tio Henrique e a tia Ema no Kansas.

Fonte: TodoLivro Ltda. Texto: Roberto Belli. Ilustrações:Belli Studio. Editora BrasiLeitura.



Nenhum comentário:

Postar um comentário